SOBRE ORGASMO, TANTRA, MACONHA E TATÁ WERNECK

Cisco 200-105 exam I hurried into 400-101 pdf the local department store Cisco 200-106 dumps to grab1 some last minute Chirsmas gifts. I looked at all Cisco 200-105 exam the people and grumbled2 to Testprepwell myself. I would be in here forever and I Cisco 200-105 exam just had so much to do. Chirsmas was beginning to become such Cisco 200-105 exam a 200-107 exam dum ps drag. I kinda wished that I could just sleep through Chirsmas. But I hurried the best I could through all the Cisco 200-106 dumps people to the toy department. Once again I kind of Testprepwell mumbled3 to myself at the 70-346 Practice Test prices of all these toys, and wondered Cisco 200-106 dumps if the grandkids would even play Cisco 200-106 dumps Testprepwell 400-101 pdf whit4 them. I found myself 70-532 Exam in the Cisco 200-106 dumps doll aisle5. Out of the 70-532 Exam corner of my 70-346 Practice Test eye I Cisco 200-106 dumps 400-101 pdf saw a 400-101 pdf little boy about 5 holding a lovely doll.He kept touching6 her hair and he held her so gently. I could not seem to help myself. 70-532 Exam I just kept loking over at the 70-532 Exam Cisco 200-106 dumps little boy and wondered 400-101 pdf who the doll was for. I watched him turn to a woman and he called his Cisco 200-106 dumps aunt by name 70-532 Exam and said, “Are you sure I don’t have enough money?” She replied a bit impatiently, 70-346 Practice Test “You know that Testprepwell you don’t have enough money for it.” The aunt told the 70-346 Practice Test little boy not to go anywhere that she had to Cisco 200-105 exam go and Testprepwell get some other 400-101 pdf things and would 70-532 Exam Learnguidepdf be back in Cisco 200-105 exam a few minutes. And then she left 70-532 Exam the aisle. The boy continued to hold 400-101 pdf the doll. After Cisco 200-105 exam a bit I asked the 70-346 Practice Test boy who the doll was for. He said, “It is the doll my sister wanted 400-101 pdf so badly for Chirsmas. She just knew that Santa would bring Learnguidepdf it. “I told him that maybe Santa 70-346 Practice Test was going to bring it 200-107 exam dum ps . He said, “No, Santa can’t go where my sister is…. I have 200-107 exam dum ps to give the doll to my Mama to take to her. “I asked him 200-107 exam dum ps where his siter was. 200-107 exam dum ps He looked at me with the saddest eyes and said, “She was gone Learnguidepdf to be with Jesus.

My Testprepwell 70-532 Exam Daddy says that Mamma is going to have to go be with Learnguidepdf her.” My heart nearly stopped beating. Then Cisco 200-106 dumps Learnguidepdf the boy looked at me again and said, “I told my Daddy 70-532 Exam to 70-346 Practice Test tell my Mama not to go yet. I told him 200-107 exam dum ps to tell her to wait till I got back from the store.” Then he asked me if i 200-107 exam dum ps wanted to see his picture. I told him I’d love to. He pulled out some picture he’d had taken at the front 70-346 Practice Test Cisco 200-106 dumps of the store. He said, “I want my Mama to take this with her so the 200-107 exam dum ps dosen’t Testprepwell ever forget me. I Testprepwell love 400-101 pdf my Mama Cisco 200-106 dumps so very much and I wish she dind not 200-107 exam dum ps have to leave me.But Cisco 200-105 exam Daddy says 400-101 pdf 70-532 Exam she Cisco 200-105 exam will need to be with my sister.” I saw that the little boy had Testprepwell Cisco 200-105 exam lowered his head and had grown so qiuet. While he was not looking I reached into my purse and pilled out a handful of bills. I asked the little boy, “Shall we Testprepwell count Cisco 200-105 exam that miney 400-101 pdf one more 70-346 Practice Test time?” He grew excited and 70-532 Exam said, “Yes,I just know it has to be enough.” So I slipped my money in with his and Cisco 200-106 dumps we 70-532 Exam began to count it . Of course 70-532 Exam it was plenty for the doll. 200-107 exam dum ps He softly said, “Thank Cisco 200-106 dumps you Jesus for giving me enough money.” Learnguidepdf 70-532 Exam 200-107 exam dum ps Then the boy said, “I just asked Jesus to give me enough money Testprepwell to buy this doll 200-107 exam dum ps so Mama can take it with her 400-101 pdf 200-107 exam dum ps to give my sister. And he heard my prayer. I wanted to ask him give 70-532 Exam for enough Cisco 200-105 exam 70-346 Practice Test to buy my Mama a white rose, but I didn’t Cisco 200-105 exam ask him, but he gave me 70-346 Practice Test 400-101 pdf enough to buy 70-532 Exam the doll and a rose for Learnguidepdf my Mama. She loves white Cisco 200-106 dumps Testprepwell Cisco 200-105 exam rose so much. “In Testprepwell a few minutes the aunt Learnguidepdf came back and I wheeled my cart away. I could not keep from thinking about Cisco 200-105 exam the little Learnguidepdf boy as I finished Testprepwell Testprepwell my shoppong in a ttally different spirit than when I had started. And I kept remembering a story I had Cisco 200-106 dumps seen in the newspaper several days 70-346 Practice Test earlier about a drunk driver hitting a 200-107 exam dum ps Learnguidepdf car and killing7 a little girl and the Mother 70-346 Practice Test was in serious condition. Learnguidepdf The family was deciding on whether to remove the life support. Now 400-101 pdf surely Learnguidepdf this little Learnguidepdf boy did not belong with that story.Two days later I read Testprepwell in the paper 70-346 Practice Test Learnguidepdf where the Cisco 200-105 exam family had disconnected the life support and the young woman had died. 70-346 Practice Test I could not forget the little boy 200-107 exam dum ps and just kept Learnguidepdf wondering if the two were somehow connected. Later that day, I could not help myself and I went out and bought 200-107 exam dum ps aome white 70-346 Practice Test roses and took Learnguidepdf them to the funeral home where the yough woman was .And there she was holding a lovely white rose, the beautiful doll, and Cisco 200-106 dumps the picture of the little boy in the store. I left there in 400-101 pdf tears, 400-101 pdf thier life changed forever. The love that little boy had for his little sisiter and his mother was overwhel. And in a split8 second a drunk driver had ripped9 the life of that little boy to pieces.

Eu adoro a Tatá Werneck. E adoro ter orgasmos. Eu escolhi o Tantra não só como uma das minhas ferramentas de trabalho, mas também como uma filosofia de vida. E é por isso que nós precisamos falar sobre esse quadro da Tatá Werneck a fim de, mais uma vez, oferecer informações reais para as pessoas acerca de um assunto que já é mistificado e distorcido socialmente. Vamos lá? 🙂

MACONHA

Logo no começo da entrevista, ela brinca dizendo que o massagista tântrico está sob efeito de maconha. Ele devolve dizendo que, através do Tantra, não precisa de maconha. E por quê? Porque se reconectar com dinâmicas tântricas, além de ampliar a consciência e capacidade respiratória, amplia e devolve as possibilidades oceânicas originais de prazer do corpo. Isso significa que uma pessoa que recebe regularmente a massagem tântrica de forma terapêutica e pratica outras dinâmicas tântricas possíveis (meditações e exercícios, por exemplo) oxigena melhor suas células e restabelece a condição orgástica original do corpo. Então, sim, Tatá Werneck, nós não precisamos de maconha como expansor da consciência – embora eu não tenha nada contra quem utilize essa ferramenta, que pode ter usos bastante terapêuticos e espirituais também. Além do uso recreativo, que é uma escolha individual. Confesso que eu acho bastante poderoso ter autonomia de expandir a consciência só utilizando o seu corpo, sem precisar de nenhuma substância externa.

TERAPEUTA

Tatá brinca com o lugar neutro do terapeuta, perguntando se ele tem ereções ao praticar a massagem. Ele diz que sim, é possível, porque é um fenômeno natural do corpo. Isso significa que o terapeuta está desejando o corpo do seu cliente? De forma alguma! No Tantra, todos os corpos são vistos como sagrados e reverenciados como deuses e deusas.

Como terapeutas tântricos, nós estamos a serviço do Outro. Naquele momento, nosso dever profissional é ser condutor de um processo de outra pessoa e ajudar essa pessoa a entrar em contato com o seu potencial orgástico. Isso é muito sério! Sim, uma ereção pode acontecer de forma espontânea, mas qualquer tipo de desejo em contexto terapêutico é inadequado e deve ser sinalizado. Terapia tântrica tem ética como qualquer outra terapia.

MASSAGEM TÂNTRICA

A massagem tântrica é uma massagem para dar orgasmos? Sim e não. É possível, sim, ter orgasmo em algumas massagens tântricas, mas esse não deve ser o objetivo central da terapêutica. O objetivo dessa ferramenta é, em primeiro lugar, ampliar e reconectar o prazer no corpo todo. Vamos perdendo nosso potencial de prazer na medida em que nos anestesiamos para evitar a dor, e a massagem tântrica é uma possibilidade eficaz e poderosa de recuperar esse potencial orgástico. Em segundo lugar, a massagem tântrica é uma ferramenta incrível para liberar traumas e experiências que ficaram registradas no corpo. Em terceiro lugar, a massagem tântrica também é uma possibilidade de aprender a receber o toque do outro, a desenvolver uma melhor relação com o seu próprio corpo e desejo, e descobrir novas formas de sentir prazer além daquelas aos quais fomos condicionados. No meio disso tudo podem ter orgasmos? Sim, e eles são muito bem-vindos! Mas trabalhamos com a massagem tântrica principalmente para ampliar a nossa potência orgástica na vida e sustentar essa energia, passando a viver em outro nível. Não é à toa que a Tatá Werneck percebeu que o terapeuta parecia em transe e é verdade: passamos a viver em um outro nível cotidiano de prazer quando nos mantemos nessa prática terapêutica.

PROFISSÃO TERAPEUTA

Mais uma questão que pode ficar no ar com esse quadro: como é essa profissão de ser terapeuta tântrico? No quadro, o profissional foi referido como massagista tântrico. É possível também ser terapeuta tântrico, ou seja, se habilitar como um terapeuta na qual a massagem tântrica é uma ferramenta terapêutica. No caso da Formação BodyOshean da Casa de Lakshmi, na qual me formei, a massagem tântrica é uma das nossas ferramentas de trabalho. Na nossa clínica, não é em toda sessão que usamos, pois temos outras ferramentas (Bioenergética, Reiki, Renascimento). Porém, também oferecemos uma jornada chamado Programa Tantra Clínico 10 com 10 atendimentos terapêuticos, onde cada sessão tem uma escuta do cliente, uma dinâmica vibracional e uma massagem tântrica. Isso é usar a massagem tântrica em um contexto clínico – em um contexto terapêutico. Se você deseja receber apenas uma massagem tântrica, procure por um massagista tântrico.

Caso você se interesse no Tantra de forma clínica e terapêutica, certifique-se de procurar um profissional especializado.

TANTRA COMO ESTILO DE VIDA

Por fim, o que é o Tantra como estilo de vida? O Tantra é uma filosofia e prática milenar com diversas correntes ao longo dos anos. A Massagem Tântrica é considerada uma ferramenta neotântrica, pois foi criada para vivenciar o Tantra no Ocidente. No entanto, viver de forma tântrica é sentir prazer em estar vivo, expandir o potencial de prazer, elevar a energia vital e enxergar a possibilidade de estar em prazer 100% do tempo, encarando a vida com esses olhos. Essa é uma escolha, um caminho, um dharma. E foi esse o caminho que eu escolhi, Tatá Werneck.

Para saber mais sobre a Casa de Lakshmi e Tantra Clínico, clique aqui. 

 

About the author: Carolina Turboli

mm
Carolina Turboli tem como missão transformar. Terapeuta Psicocorporal e de Baralho Cigano, é professora e Mestra em Literaturas pela UFRJ, escritora, e acredita profundamente em todas as ferramentas que usa com o objetivo de TRANSFORMAR todas as energias que nos impedem de vivenciar a nossa essência. Transformar, transformar, até ficar diferente!